terça-feira, 10 de maio de 2022

Emoção marca inauguração do novo Centro Cultural de Itabuna

“É muita emoção ver o local que foi meu lar por 25 anos transformado em um Centro Cultural. É mais que um sonho, é o sonho sendo concretizado”, foi com essas palavras que a musicista Cacilda Lourenço Silva celebrou a inauguração do Centro Cultural Teosópolis que leva o seu nome. “São sonhos que Hélio (Lourenço) meu marido não pode realizar e estão sendo concretizados agora com a sabedoria de Pastor Geraldo”, reafirmou. Inaugurado na sexta-feira (6)o Centro Cultural Teosópolis Cacilda Lourenço Silva será mantido pela Associação de Beneficência e Cultura Teosópolis (ABCT) em parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Prefeitura de Itabuna, por meio da secretaria de Educação e da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FIIC). Um vídeo foi exibido mostrando o novo Centro. “Aqui estou em casa, como cidadão sei da importância de um museu”, disse o reitor da UESC Alessandro Fernandes. “Estive no Louvre com minha filha e vi a importância que os franceses dão aos bens culturais. Poucas vezes me senti tão emocionado e tão acolhido como estou aqui. O apelo cultural é algo mais, e é importante estar acompanhado de um valor espiritual”. Completando: “a universidade tem que servir a sociedade e estar próximo as comunidades”. Janete Ruiz Macedo, professora da UESC e coordenadora do projeto contou como funcionará o equipamento, com exposições temáticas temporárias e a exposição permanente, além de abrigar o Centro de Memória Teosópolis, fundado em 2013, e a Escola de Música Sacra de Itabuna (Emusita), com 34 anos de existência. A educadora disse que a universidade realizou uma pesquisa sobre museus onde a única pergunta era se a pessoa conhecia um museu. “Poucos conheciam”, informou. Ela relatou que o foco é desenvolver entre os jovens e a população hábitos culturais. “Quando uma pessoa for viajar não vai procurar só o shopping, mas também museus, conhecer a história”, reforçou. “Nos associamos ao Instituto Brasileiro de Museus, que realiza um encontro nacional em maio. Queremos oferecer o melhor a população grapiúna” garantiu. Para Dayse Góes, coordenadora da Emusita “O novo espaço é a realização de um sonho poder trazer pessoas para conhecer e ensinar arte. São 34 anos servindo a comunidade”, ela disse. Coordenador da Associação de Beneficência e Cultura Teosópolis (ABCT), o professor Aurélio Farias de Macedo disse que o objetivo é oferecer “um alto nível de equipamento cultural para a cidade”. “O papel da igreja com a sociedade é cuidar da fé e promover ações que levem a completude das ações humanas. “O amor de Jesus tem que ser concreto na sociedade. A fé sem prática não funciona. A responsabilidade com a sociedade inclui a cultura”, reforçou o representante da entidade mantenedora Aurélio Macedo. Na opinião de Júnior Brandão, que representou a Prefeitura de Itabuna, “conhecer um museu é uma experiência significante”. Disse do apreço do prefeito e da secretaria e educação pelo projeto. “Eu estou emocionado em fazer parte como representante da FIIC dessa parceria”, disse Virgílio Sena da FIIC. Geraldo Meireles, pastor da Teosópolis e um dos idealizadores do equipamento, agradeceu aos parceiros externos do projeto, ao engenheiro doutor Ciro Ruiz Macedo que desenvolveu o projeto do centro conservando suas caraterísticas, aos funcionários. “Que o Deus da vida, da história abençoe a todos e a esse equipamento”, ressaltou.
O Centro Cultural - O Centro Cultural Teosópolis fica na Praça dos Eucaliptos, no bairro da Conceição, em Itabuna. Abriga o Centro de Memória Teosópolis, fundado em 2013, e a Escola de Música Sacra de Itabuna (Emusita), com 34 anos de existência. O espaço busca recuperar a história por meio de exposições temporárias e pela exposição permanente sobre a história dos Batistas na região e a vida e obra do pastor Hélio Lourenço da Silva. Já na recepção, os visitantes receberão autorização para uma visita guiada para o Centro de Memória ou para aulas de música. Na sala Brilho Celeste, os alunos contarão com aulas de canto e instrumentos de teclado, cordas e sopro. Outra sala de aula é reservada ao estudo da bateria.  No local também funcionará a Emusita, que também conta com dois ambientes compartilhados: o espaço de convivência e um moderno auditório. Já o Centro de Memória Teosópolis terá como percurso inicial a exposição permanente. No espaço de convivência, as pessoas podem se confraternizar, descansar e, também, fazer o registro da visita, através de fotos. O Centro Cultural contará com um moderno espaço multifuncional, o auditório Olga Ribeiro. O Centro Cultural funcionará em parceria com a Prefeitura de Itabuna e com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário